quarta-feira, 4 de abril de 2012

Computadoras e o protagonismo feminino na tecnologia


Por Milene Cristina Valú de Souza*
De Curvelo - MG

As mulheres por um grande período da história foram subjugadas e ainda hoje vemos diversos fatos que reafirmam isto. Muitas vezes sabemos pouco ou nada sobre a importância da participação delas. Talvez uma referência bastante conhecida seja Joana D’Arc, camponesa que se tornou uma figura mítica após ter ajudado a França a vencer a Guerra dos Cem Anos (1337-1453) empreendida contra a Inglaterra. Ainda nos deparamos na história nos com outros exemplos como: Cleópatra, rainha egípcia que agitou o cenário político romano; Anita Garibaldi, importante revolucionária do século XIX; Elizabeth, a última descendente da dinastia Tudor; Marie Curie, física e química que foi a primeira mulher a ganhar um prêmio Nobel e também foi a primeira pessoa a ganhar 2 destes prêmios, um em cada ciência; Margareth Thatcher, que assumiu o poder na Grã-Betanha em 1979.

Mais recentemente podemos citar diversas mulheres que ocupam cargos importantes em diversos países e instituições internacionais, como por exemplo, Dilma Roussef (presidente do Brasil), Cristina Kirchner (presidente da Argentina), Angela Merkel (primeira ministra da Alemanha), Christine Lagarde (presidente do Fundo Monetário Internacional - FMI) e tantas outras.

No âmbito da tecnologia, o primeiro aparelho eletrônico criado foi o ENIAC, que, como detalhei em um artigo recente, era um “computador” digital de grandes dimensões e que operava segundo o código binário. Algo interessante a se relatar é que os operadores desta imensa máquina eram na verdade operadoras. Isso mesmo! Quem operava este grande equipamento composto por milhares de válvulas eram mulheres. Você deve estar pensando: “Por que mulheres?”

Respondendo à sua pergunta, quando o exercito aceitou financiar o projeto experimental ENIAC foram selecionadas seis “mulheres computador” que atuariam diretamente com o mesmo e seriam responsáveis por testar a nova máquina. Elas tinham experiência quanto ao manuseio das linhas de operação, pois trabalhavam na área de telefonia e tinham domínio sobre o conhecimento deste tipo de operação, por isso foram escolhidas.

Estas seis mulheres: Ruth Lichterman Teitelbaum, Jean Jennings Bartik, Frances Bilas Spence, Kay McNulty Mauchly Antonelli, Frances Snyder Holberton e Marlyn Wescoff Meltzer, foram as primeiras “computadoras” (moças que computavam) e tinham que além de  desenvolver programas balísticos, treinar novos programadores e criar rotinas para melhorar a eficiência do trabalho de programar a enorme máquina.

Para programá-la era necessária uma grande quantidade de pessoas que trabalhariam percorrendo longas filas de interruptores dando as instruções necessárias para que ela computasse, ou seja, efetuasse cálculos. Assim sendo uma equipe de 80 mulheres da Universidade da Pensilvânia foram chamadas e se tornaram responsáveis por calcular manualmente as equações diferenciais necessárias para os cálculos de balística. O exército chamava a função destas pessoas de computadores. E quem operava o ENIAC recebia o nome de computador.

O termo “computadoras” foi escolhido pejorativamente pelo exército americano para se referir às operadoras do ENIAC de forma a separá-las dos “verdadeiros matemáticos”.

Em 1947 o ENIAC recebeu um upgrade de memória se tornando a primeira máquina capaz de armazenar um programa para execução posterior. Kay McNulty casou-se com o Dr. John Mauchly que, juntamente com J. Presper Eckert havia inventado o ENIAC. Algumas das operadoras faleceram antes de ter seu trabalho reconhecido publicamente.

É possível assistir aos vídeos de Kay e Jean Bartik  contando suas histórias no site http://www.witi.com/center/aboutwiti/eniac_video.php (o vídeo está em inglês). Como podemos ver, o trabalho e dedicação destas mulheres ajudou no desenvolvimento do principal equipamento eletrico que utilizamos neste mundo globalizado. Porém, muitas informações sobre o protagonismo feminino ainda continuam perdidas na história

*Milene Cristina Valú de Souza tem 17 anos e é estudante do curso técnico em eletrotécnica do CEFET/MG no campus X em Curvelo - MG.

Fontes:
http://www.brasilescola.com/historia/grandesmulheres.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/ENIAC
http://www.depijama.com/governanca/as-mulheres-que-programavam-o-eniac/

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parceiros fóton Blog

O designer fóton Blog

Twitter